ABLAM: Fundação e Princípios

ablamAs Ligas Acadêmicas são entidades constituídas fundamentalmente por estudantes, em que se busca aprofundar temas em uma determinada área da Medicina. Para tanto, as atividades das Ligas Acadêmicas se orientam segundo os princípios do tripé universitário de Ensino, Pesquisa e Extensão.

Esse modelo de ação social e complementação acadêmica nasceu no Brasil, em 1918, com a criação da Liga de Combate à Sífilis da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, na qual os estudantes, utilizando-se dos conhecimentos aprendidos ao longo do curso, montavam postos de profilaxia e tratamento gratuito à população.

Nos anos seguintes, diversas iniciativas semelhantes foram surgindo nas mais variadas instituições de ensino médico do país. Seguindo a tendência do aumento de faculdades de medicina em todo o Brasil, é possível observar um aumento exponencial do número de Ligas Acadêmicas, principalmente nas últimas décadas.

Ao final da década de 1990, as discussões em Educação Médica passaram a considerar a possibilidade de os estudantes incluírem parte de suas grades curriculares com Ligas, o que corroborou ainda mais para o reconhecimento pleno desse tipo de atividade acadêmica.

A fundação da Associação Brasileira de Ligas Acadêmicas de Medicina – ABLAM –acontece em 2005, durante o 8º Congresso Brasileiro de Clínica Médica, e conta com o apoio de várias entidades médicas regionais e nacionais. A criação dessa Associação vem reforçar a complexidade organizacional que se pode encontrar neste tipo de atividade.

Nesse sentido, a ABLAM atua constantemente para:

  • Fomentar a difusão do conhecimento médico entre Ligas de um mesmo tema – por meio da realização de encontros, simpósios e congressos interligas em âmbito local, regional e nacional;
  • Incentivar o relacionamento, a integração e a mobilidade entre Ligas – com criação das sociedades e comitês de um mesmo tema;
  • Permitir a troca de experiências entre Ligas de todo o país, por meio de um cadastro nacional acessível a todas Ligas associadas
  • Contribuir com o contínuo aprofundamento da discussão conceitual de Ligas, no que tange a suas atribuições, modos de organização e modelos de fiscalização;
  • Incentivar a criação de novas Ligas e auxiliar para que essas estejam em acordo com as diretrizes conceituais estabelecidas
  • Conferir um padrão de qualidade de atuação das Ligas associadas
  • Valorizar as Ligas frente às respectivas instituições de ensino e sociedades de especialidades médicas.